Bairro dos Livros | Exposição “Acasos Objetivos” na Quinta da Cruz, Centro de Arte Contemporânea de Viseu
16582
portfolio_page-template-default,single,single-portfolio_page,postid-16582,ajax_fade,page_not_loaded,,vertical_menu_enabled,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-11.1,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1,vc_responsive

Exposição “Acasos Objetivos” na Quinta da Cruz, Centro de Arte Contemporânea de Viseu

Data
Categoria
Clientes, Curadoria, Eventos e Animação Cultural, Exposições, Instalações Artísticas, Portfólio, U. Porto
Tags
acasos objetivos, carlos magno, exposição, fotografia, gilles lipovetsky, graffiti, quinta da cruz, quinta da cruz - centro de arte contemporâne, semiótica, street art, viseu
Sobre o Projeto

“Acasos Objetivos” é uma exposição de fotografia de Carlos Magno, que está em exibição na Quinta da Cruz, Centro de Arte Contemporânea, em  Viseu, entre 18 de janeiro e 28 de fevereiro de 2020. A exposição, promovida pelo Município de Viseu, tem a curadoria, conceção e produção do Bairro dos Livros e a Universidade do Porto como Promotor Original.

www.acasosobjetivos.pt

Trata-se de uma exposição de fotografia de Carlos Magno, composta por imagens de semiótica urbana que documentam para o futuro a efémera voz dos cidadãos, escrita e desenhada nas paredes, nas estradas ou nos cartazes que, em muitos casos, resultam do alinhamento de acontecimentos, mais ou menos acidentais, que o fotógrafo descobre ou pressente e não perde a oportunidade de registar. As suas fotografias são testemunhos do real que nos confrontam com o que está apenas visível para aqueles que olham e veem. A exposição, que inaugura brevemente na Quinta da Cruz, Centro de Arte Contemporânea de Viseu, foi promovida originalmente pela Reitoria da Universidade do Porto, em 2019, com a curadoria, conceção e produção do Bairro dos Livros.

“(…) Viseu vem dar currículo a este conjunto de imagens, feitas sobretudo num período de seis anos em que fui presidente da ERC. Como regulador dos media, estava impedido de fazer jornalismo. Refugiei-me, por isso, na máquina fotográfica. Pus as paredes a falar por mim. (…) Nunca deixei de ser jornalista. E esta exposição é uma reportagem. Pura e dura.” – Carlos Magno

Clipping
RTP – “As Horas Extraordinárias”, 25/03/2019
Porto Canal, 03/2019